quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Espera, espera........

Recebi um email delicioso, fantástico, da minha amiga João.
Um email que em circunstâncias normais reencaminharia, mas sendo eu um acérrimo crítico daqueles emails que, caso não os reencaminhemos para um x número de contactos nada de bom nos acontece e tudo de mau se verificará, destaco-o neste meu espaço.

Acreditem que apesar de respeitar quem tem fé nos efeitos de muitas dessas mensagens, na minha opinião encapotam código malicioso como por exemplo SPAM.
Desde que à uns anos recebi um email em que caso não o encaminhasse para 10 homens (reparem: homens) em menos de 10 minutos sofreria os efeitos de uma queda abrupta e total na capacidade elevatória de um determinado musculo externo, decidi passar a gozar com este tipo de mensagens.

Nesse sentido publico este post.
AINDA ESTOU À ESPERA

Fiz o que me mandaste
Mandei o e-mail para 10 pessoas como me disseste
Ainda estou à espera que a tal coisa aconteça...


Para todos os meus amigos que, nos últimos tempos, me mandaram "realizações de desejos", cartas-corrente, anjos de bondades, santos e santas milagrosos e outras promessas, se eu encaminhasse e também devolvesse, alguma coisa boa iria acontecer...
NADA FUNCIONOU!!!!!
Para o futuro, por favor, mandem-me dinheiro, vodka, whisky, vinho, cerveja, chocolate, entradas de cinema ou vales para os melhores restaurantes.
OBRIGADO

Festa de aniversário

As minhas desculpas pelo atraso na publicação do post com as fotos do meu aniversário.

Prometi que as fotos iriam ficar disponíveis durante esta semana. Surgiu um imprevisto de ordem técnica que ainda não consegui ultrapassar.

Desculpem uma vez mais e aproveito para adiantar o texto que servirá de legenda às mesmas:

Obrigado a todos pelo momento.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Partilha I e II

Decidi iniciar a publicação de expressões escritas, da minha autoria. Uma faceta que poucos conhecem.

Este meu atrevimento resulta de uma conversa que tive esta semana com um casal amigo que muito me honraram e sensibilizaram quando me transmitiram que um deles passou a semana a cantarolar uma música que escrevi à cerca de 22 anos (Partilha II).

Retomo a palavra atrevimento. Atrevimento porque não sou nem anseio ser escritor. Que me perdoem com a minha humilde escrita, aqueles que com a sua genealidade nos fazem sonhar. Artistas, contadores de histórias, que nos acompanham no adormecer da noite.
Neste contexto, partilho o meu actual companheiro contador de histórias: Haruki Murakami. A obra: After Dark - Os Passageiros da Noite.

Os meus escritos são muito simples, de uma frase apenas ou de alguns versos.

Partilha I, é uma frase que escrevi num bocado de papel hà cerca de seis meses. Uma frase que nada tem de especial, a não ser para mim.

Partilha I:
"Amigos são como a música
há que saber ouvir e apreciar."
Octávio Pimentel 7/2008
----
--
Partilha II
SOCIEDADE FRUSTRADA
-------------------
Era um rapaz muito pitoresco
até que um dia decidiu curtir Heavy
então desencalhou um pouco de erva
e nas esquinas da solidão ficou
-----------------
Pernas abertas, desconchavado,
o bucho com cerveja, namorada ao lado,
o Zé estava todo consolado,
tirava umas passas do cacete que rolava.
-------------------
Refrão:
E a vida era feita mesmo assim
e o Zé não pensava em mais nada.
------------------
Até que um dia decidiu trabalhar
tentar, talvez, um lugar na sociedade
mas o fardo da vida era demais para ele
decisão unânime deixou de tentar
-----------------
Um dia experimentou, o prazer da injenção
descobriu a existência do poder da tentação
a cena que ele mais queria era poder morrer
vontade seja feita e o Zé marou
---------------
Refrão:
E a vida era feita mesmo assim...
e o Zé já não pensava em mais nada.

------------------
Refrão:
E a vida era feita mesmo assim...
outro Zé apareceu sem palavra.

------------------
Octávio Pimentel 2/1987
Letra e Música

Composição criada no âmbito do projecto Megalon.
Megalon, banda de garagem formada por mim (Pato), pelo Paulo (Quim) e pelo Mário (Tampinha):
Nota: os amigos de sempre sabem o contexto em que esta letra foi escrita: Liceu de Gaia, Garfo, Natureza e Macoral.

domingo, 11 de janeiro de 2009

A caminho dos 42.....

Pois é....mais um ano a partir do próximo dia 15 de Janeiro. 42.
42 anos plenos de alegria.
O fado da minha vida tem sido pleno. Pleno pela minha filha, pela minha família e pelos amigos e colegas que tenho tido a felicidade de conhecer.

Mais um ano natalício, mais um momento de reflexão sobre o que verdadeiramente desejamos para nós e para aqueles de quem mais gostamos.

Deu-me para este post meio lamechas depois de descobrir uma preciosidade no You Tube: uma versão da música Numb dos Linkin Park.

Atrevo-me a publicar uma tradução da letra em Português e sugiro seja lida enquanto se escuta o vídeo.

Associo a música a momentos de reflexão que todos nós temos nas nossas vidas. A pressão dos tempos pela perfeição. A pressão do consumismo, do materialismo, etc, etc, etc.
O actor que cada vez mais somos nesta merda que é o palco da vida.

Na letra, o tu, pode ser quem ou o que quiserem que seja.

video
Numb [Linkin Park]
Estou cansado de ser o que tu queres que eu seja.
Sinto-me tão sem rumo, perdido debaixo dessa aparência.
Não sei o que esperas de mim,
colocando-me sob pressão,
de me sentir como tu
(Preso no cansaço, só preso no cansaço)
Cada passo que eu dou, é outro erro para ti
(Preso no cansaço, só preso no cansaço)

Refrão
Tenho me tornado tão insensível,
que não posso sentir-te aqui.
Tornei-me tão cansado, muito mais ciente.
Eu tenho-me tornado isso
e tudo o que eu quero fazer
é ser mais como eu
e menos como tu.

Não consegues ver o que me está a sufocar?
Segurando muito firme.
Com medo de perder o controle.
Porque tudo o que pensaste que seria,
desmoronou bem na tua frente.
(Preso no cansaço, só preso no cansaço)
Cada passo que dou é outro erro para ti.
(Preso no cansaço, só preso no cansaço)

E cada segundo que eu perco,
é mais do que eu posso suportar.
Eu tenho me tornado tão insensível,
que já não posso sentir-te aqui.
Tornei-me tão cansado, muito mais ciente.
Eu tenho me tornado isso
e tudo o que eu quero fazer
é ser mais como eu
e menos como tu.

E eu sei.
Eu posso terminar caindo também.
Mas eu sei.
Tu eras como eu,
até alguém te decepcionar.

Refrão
Tenho-me tornado tão insensível,
que não posso sentir-te aqui.
Tornei-me tão cansado, muito mais ciente.
Eu tenho-me tornado isso
e tudo o que eu quero fazer
é ser mais como eu
e menos como tu.

Eu tenho-me tornado tão insensível,
que não posso sentir-te aqui
[estou cansado de ser o que tu queres que eu seja]
Eu tenho-me tornado tão insensível.
Eu não posso sentir-te aqui.
[estou cansado de ser o que tu queres que eu seja]

Numb (tradução)
Linkin Park
Compositores: Mike Shinoda / Chester Bennington


Versão original tocada pelos Linkin Park aquando da sua passagem pelo Rock in Rio em 2008:

video

domingo, 4 de janeiro de 2009

Redescobri Korn

Foi com surpresa que este Natal redescobri Korn.

Não é propriamente um género musical propício ao evento em apreço, mas foi com um certo sabor nostálgico que me deliciei com o som destes grandes senhores da música.


Sem dúvida que para muitos e também para mim, uma das melhores bandas que existem neste estilo de música. Não fossem eles os "inventores" do Metal!.




Das várias músicas que poderia escolher, optei por uma mais soft, acompanhada de um vídeo divinal. É sem dúvida uma das minhas preferidas. Wade Up, que partilho convosco:

video

Sítio dos Korn na web: http://www.korn.com/





quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

2009 chegou....

Comecei 2009 da melhor maneira.
Com a família e os amigos.
Pena que não pudessem estar todos.



Jantamos no restaurante O Degrau do Castelo, mesmo ao lado da mítica discoteca O Batô, em Leça da Palmeira. Terminamos no Blá Blá.


O dia 31 de Dezembro foi ainda especial porque festejamos o aniversário da Cláudia.

Foi bom rever alguns amigos com quem já não estava à algum tempo.

Um destaque muito especial para o Ikas e para o Inspector



O fim da festa, no Blá Blá